• O primeiro portal em língua portuguesa sobre as normas americanas de contabilidade.
  • Convergência gradual do IFRS e do USGAAP. A importância da Codificação (ASC)
  • Receita de Contratos com Clientes - A primeira norma conjunta do IFRS e USGAAP

ASC 606 / IFRS 15 - Receita de Contratos com Clientes

Em 2002, o IASB e o FASB concordaram em trabalhar juntos para obter maior comparabilidade entre os padrões internacionais e o U.S. GAAP.

 •Este acordo foi detalhado em um Memorando de Entendimento conhecido por “The Norwalk Agreement”

Como o programa de convergência bilateral conclui, o FASB implementou uma estratégia de três partes para buscar uma maior comparabilidade em normas de contabilidade internacionalmente :

• Desenvolvendo padrões GAAP de alta qualidade

• Participando ativamente no desenvolvimento do International Financial Reporting Standards (IFRS)

• Reforçando as relações e comunicações com outras organizações nacionais de normatização.

 

Como resultado deste esforço de convergência, em maio de 2014, o IASB e o FASB publicaram uma norma em conjunto sobre as receitas de contratos com os clientes, o IFRS 15 /ASC 606

Esse projeto conjunto é importante devido as diferenças entre USGAAP e IFRS na temática de receitas, acarretando na melhora dos seus respectivos padrões .

Para o US GAAP, a orientação vai substituir numerosos requisitos de reconhecimento de receitas específicas da indústria. 

 O objetivo da orientação era esclarecer os princípios para o reconhecimento de receitas provenientes de contratos com clientes.

 

A orientação estabelece princípios para divulgar informações úteis sobre a natureza, a época e a incerteza das receitas de contratos com os clientes. A orientação não se aplica a contratos de lease, instrumentos financeiros e contratos de seguros.

A nova orientação:

• Remove incoerências e fraquezas nos requisitos de receitas existentes

• Fornece uma estrutura mais robusta para abordar as questões das receitas

• Melhora a comparabilidade das práticas de reconhecimento de receitas entre as entidades, indústrias, jurisdições, e os mercados de capital

• Fornece informações mais úteis para os utilizadores das demonstrações financeiras através da melhoria dos requisitos de divulgação, e

• Simplifica a preparação de demonstrações financeiras, reduzindo o número de requisitos a que uma organização deve se referir.

 

O princípio fundamental da orientação é:

 

Reconhecemos a receita para descrever a transferência de bens ou serviços prometidos aos clientes em um montante que reflete a consideração de que a entidade espera ter o direito em troca desses bens ou serviços.

 

Para atingir o princípio central, cinco etapas devem ser feitas:

1.Identificar o contrato com o cliente

2.Identificar as obrigações de desempenho (promessas) no contrato

3.Determinar o preço da transação

4.Alocar o preço de transação das obrigações de desempenho no contrato

5.Reconhecer receita quando (ou assim que) a organização relatora satisfaz uma obrigação de desempenho.